HBO MAX

Sandy revela acidente na cozinha durante gravações de reality

"Sandy + Chef" é baseado no "Selena +Chef", versão americana apresentada por Selena Gomez

Paulo Henrique Lima
Repórter

“Sandy + Chef”, versão brasileira do reality show culinário “Selena + Chef”, estreou nesta quinta-feira (11) na HBO Max. No programa, a cantora Sandy Leah encara aulas de gastronomia com um chef renomado. O primeiro episódio, por exemplo, foi estrelado e co-apresentado por Paola Carosella ao lado da titular da atração, que foi gravada entre julho e agosto, em São Paulo.

Cantora com recorde de público em turnê nacional, Sandy enfrentou perrengues para conseguir cumprir o objetivo de aprender a cozinhar pratos dignos de restaurantes de luxo. Na cozinha da própria casa, a irmã de Júnior Lima sofreu pequenos acidentes domésticos ao manusear a faca para cortar legumes e carnes, além de se descuidar e acabar se queimando.

“Foi um desafio enorme, eu ficava cansada e com medo de errar, de faca. Teve um dia que eu me cortei, sei que sou estabanada e sabia que ia acontecer alguma coisa. Teve outro dia que me queimei, mas nada grave. Eu já esperava que isso talvez acontecesse, os chef experientes acabam se cortando na TV, mas foi logo [no começo das gravações] foi bom que já batizou”, brincou Sandy.

Em uma cozinha equipada com os melhores eletrodomésticos, panelas e alimentos variados, a apresentadora do “Sandy + Chef” inicia a temporada preparando ravioli de abóbora recheado com ricota. Ela também é a responsável pela sobremesa, um crumble britânico de manga com sorvete de creme. Para preparar todas as delícias, a cantora recebeu a ajuda da ex-jurada do “MasterChef Brasil”, Paola Carosella.

O episódio, de acordo com Sandy, foi o mais difícil de gravar não só pelo nervosismo de ser fã da chef, mas pelos perrengues enfrentados pela produção. Gravado de lugares diferentes, problemas de conexão e delay na chegada da voz e imagem transformaram a experiência da intérprete de “Vâmo Pulá!” na cozinha em uma sequencia de imprevistos que não estavam no roteiro.

“O desafio maior foi ter que fazer tudo isso à distância porque quando a pessoa ensina pelo celular você fica olhando muito de perto e ver do ângulo que quiser. Pessoalmente, a pessoa pode pegar na sua mão e mostrar como fazer. Mas pela tela às vezes não dá pra entender o que o chef está fazendo, tem o delay e a voz chega depois, foram momentos de tensão”, apontou a aprendiz.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você está ciente dessa funcionalidade. Consulte nossa Política de Privacidade.