EXPLICOU TUDO!

Ministério da Saúde desmente fake news envolvendo transplante de Faustão

Apresentador ganhou um novo coração no último domingo (27), o que gerou questionamentos na internet

Carolina Freitas
Repórter do EM OFF

Depois da polêmica instaurada na internet pelo fato do apresentador Faustão ter conseguido fazer um transplante de coração em tempo recorde, o Ministério da Saúde resolveu vir a público, no último domingo (27), para explicar o motivo do ex-contratado da Band não ter ficado muito tempo na fila do Sistema Único de Saúde (SUS) para obter o órgão.

A iniciativa começou após uma enxurrada de questionamentos aparecer nas redes sociais afirmando que o transplante só foi possível porque Fausto é bilionário e, por esse motivo, ele teria pagado para passar na frente de outras pessoas que estão na espera há meses ou anos. Vale lembrar que o apresentador está internado no hospital Albert Einsten, em São Paulo, desde o dia 5 de agosto.

Já no dia 20, ou seja, duas semanas depois de dar entrada na unidade de saúde, os médicos divulgaram um boletim afirmando que Faustão precisaria de um transplante de coração e que, devido o seu estado clínico, precisaria de prioridade. Neste último domingo (27), uma semana depois do comunicado, a direção do hospital Albert Einsten informou que o apresentador havia recebido o órgão e estava na mesa de cirurgia.

Explicação do Ministério da Saúde

Após toda a desconfiança envolvendo a rapidez no transplante de Fausto Silva, o Ministério da Saúde esclareceu que, em razão do seu estado grave de saúde, ele recebeu um coração “após ser constatada a compatibilidade necessária para o procedimento cirúrgico”.

Ainda segundo o Ministério, Faustão seguia os critério técnicos necessários para receber a doação. “São todos critérios técnicos, em que tipagem sanguínea, compatibilidade de peso e altura, compatibilidade genética e critérios de gravidade distintos para cada órgão determinam a ordem de pacientes a serem transplantados”, diz o texto publicado no Twitter.

Ou seja, o apresentador era compatível com tudo o que o novo órgão pedia: peso, altura, tipagem sanguínea, compatibilidade genética e critérios de gravidade, e, ainda segundo o Ministério da Saúde, quando os critérios técnicos são semelhantes, a ordem cronológica de cadastro, ou seja, a ordem de chegada, funciona como critério de desempate. Pacientes em estado crítico são atendidos com prioridade, em razão de sua condição clínica.

Por fim, o Ministério Público ressalta que além de Fausto, só na última semana, entre 19 e 26 de agosto, 11 pessoas também receberam transplantes de coração no país, sendo sete no estado de São Paulo, unidade da federação com maior volume de transplantes.

Leia mais:

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você está ciente dessa funcionalidade. Consulte nossa Política de Privacidade.