Voltou atrás

Manoel Soares se arrepende após dizer que LGBT’s precisam ‘defender’ Renan Bolsonaro

Ex-apresentador do "Encontro" disse que comunidade LGBTQIA+deveria defender filho de Jair Bolsonaro

Danilo Reenlsober
Repórter do EM OFF

O jornalista Manoel Soares, ex-apresentador do “Encontro” e demitido da TV Globo em junho desse ano, voltou atrás após dizer nas redes sociais que a comunidade LGBTQIA+ deveria “defender” Renan Bolsonaro, que teve a vida íntima exposta por um suposto ex-namorado nos últimos dias. A publicação pegou mal e o comunicador apagou a postagem.

Na noite desta terça-feira (10), o ex-parceiro de Patrícia Poeta escreveu no seu perfil do X, antigo Twitter, a seguinte publicação: “O desafio da comunidade LGBT agora é encontrar forças para defender Renan Bolsonaro, que como muitos homoafetivos, deve ter sofrido com a homofobia do pai”. A frase não pegou bem e muita gente afirmou que o jornalista, hétero, não tinha moral para cobrar algo da comunidade LGBTQIA+.

Diante das críticas, Manoel Soares apagou a postagem e fez uma nova publicação, assumindo que “vacilou”. “Amigos, acabei de falar com um grande irmão que é autoridade na luta LGBT e ele me convenceu que apesar de minha boa intenção, deixei brecha para que o movimento fosse cobrado. Então fique registrado aqui que reconheço meu vacilo. Aos amigos LGBTs que me deram um toque, obrigado”.

Críticas

A emenda, no entanto, saiu melhor que o soneto. Nas respostas, o jornalista voltou a ser criticado. Para muitos internautas, faltou bom senso por parte do ex-contratado da Globo. “Precisou de alguém que seja autoridade (?) na luta LGBT pra ser CONVENCIDO?”, detonou o ator e cantor Beni Falcone. “Manoel, se atenha à pauta do racismo, que é algo que você vivencia e tem lugar de fala”, disse o internauta Maraka.

“É importante compreender que algumas coisas não nos competem, Manoel. Esse é um exemplo. Dizer que o movimento LGBT precisa acolher o Renan como uma prioridade de pauta é desconhecer nossas urgências. Não precisa de uma ‘autoridade’ para saber disso”, explicou Ana Flor. “Tudo no tuite é ruim porque esta embasado num ponto de vista torto, salvacionista e arrogante”, disse a internauta Winnie.

Muitas pessoas cobraram de Manoel Soares uma posição após a Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família da Câmara dos Deputados aprovar um projeto de lei que proíbe o casamento homoafetivo e a união estável entre pessoas do mesmo sexo. O jornalista não se pronunciou sobre a questão. O Supremo Tribunal Federal (STF) já disse que a questão é inconstitucional.

Leia mais:

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você está ciente dessa funcionalidade. Consulte nossa Política de Privacidade.