'Um carro velho de motor novo'

Faustão dá detalhes sobre nova vida após transplante de coração

Em entrevista a rede Record, Faustão contou mais detalhes sobre o transplante de coração, assim com a mudança que isso implica em sua vida

Renzo Sagratzki
Repórter do EM OFF

Falando pela primeira vez após ser abençoado com um coração de 35 anos, Faustão conta os processos que passou antes da cirurgia, o que mudou em sua visão de mundo e vida, assim como desabafa sobre o tempo que perdeu e não volta mais “Sou um carro velho de motor novo”.

Concedendo sua entrevista a Record Tv, Faustão inicia falando sobre o baque que foi receber a notícia de uma necessidade de transplante, ao qual não foi o primeiro a saber “Na verdade eu já sabia que eu ia fazer uma cirurgia de coração um dia. Mas não sabia que era transplante, é de uma coisa que cê fica na expectativa: o que que dá pra fazer? Pois tente!”.

Um dos maiores comunicadores da televisão brasileira também acrescentou que a fragilidade seria biológica, de família “Pra você ver, um cara que nunca fumou, nunca bebeu, nunca usou droga, nunca usou nada, acabou caindo na malha fina. Mas é uma questão de genética, né, eu fui descobrir ao longo da vida. Talvez tenha sido pela genética do lado do meu avô paterno, o lado da família que eu não conheci”.

O bate papo se encaminhou então pro modo pelo qual o apresentador ficou sabendo da trágica notícia “Eu viagei, voltei de uma quinta, uma sexta-feira […] No dia seguinte o doutor marcou: ‘Vem aqui, vem fazer uns exames’. Aí eu vi que tava com os exames todos arrebetados… com uréria, tudo… eu nem sabia que uréia era tão importante”

Em um tom descontraído afirma também que não foi nem o primeiro a saber que necessitava de transplante de coração, mas a família que primeiro o alertou depois de ter acordado no dia 20 de agosto. Não há como viver da mesma maneira após uma mudança tão drástica na vida, ainda mais se tratando de um coração tão jovem, ao qual Faustão já alerta se sentir muito mais disposto, ainda que tenha de fazer o acompanhamento e excercícios para se adequar.

Ainda sobre isso, Faustão faz apontamentos sobre a mudança que tudo isto trouxe em sua vida “Quem recebe uma benção como essa tem que pensar muito. Olha, se eu fui agraciado com uma benção de continuar vivendo, continuar com a minha família e com meus amigos, eu tenho que repensar muita coisa. A gente às vezes perde tempo com besteira, acaba se irritando por bobagem. Eu já tô com 60 anos de trabalho […] mais ainda agora ligado ao trabalho da vida, quero fazer dela algo objetivo, levar o bem pras pessoas”.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você está ciente dessa funcionalidade. Consulte nossa Política de Privacidade.