Explicou!

André Valadão se pronuncia após ter sexualidade questionada

O líder evangélico fez questão de responder a uma pergunta sobre sua orientação sexual e esclareceu dúvidas

Karen Bandeira
Repórter do EM OFF

Durante a tarde da última terça-feira (6), o pastor evangélico André Valadão abriu uma caixinha de perguntas em seus stories do Instagram e fez uma escolha polêmica ao decidir responder um questionamento sobre sua orientação sexual. Isso porque, rumores davam conta de que o líder evangélico era homossexual não assumido, após supostas críticas a comunidade LGBTQIAP+.

O que você tem a dizer sobre os rumores em relação a sua sexualidade?“, indagou um seguidor. “Oh, gente, essa papeta aí é uma piada. Esse povo não é crente, não (risos). Sempre fui homem HÉTERO, masculino ‘m’ maiúsculo. O que passa disso, meu amigo, é mentira do cão“, afirmou o líder global da Igreja Batista da Lagoinha.

Para completar, Valadão ainda criticou as pessoas que estão repercutindo esses rumores. “Basta entrar nos Instagram desse povo que inventa essas histórias pra você ver o nível, né, gente? Pelo amor de Deus!“, apontou ele. O que aconteceu foi que o ex-cantor gospel, Jessé Aguiar, fez um comentário para lá de polêmico em uma postagem do André supostamente atacando a comunidade LGBTQIAP+.

Jessé se assumiu gay recentemente e não perdeu a oportunidade de se manifestar na publicação polêmica do líder evangélico. “Eu jurava que o senhor era também… Apita muito!“, afirmou o ex-cantor gospel. Esse comentário foi feito no post em que o pastor da Lagoinha escreveu: “Deus odeia o ORGULHO“. Sendo que a palavra “ORGULHO” estava pintada com as cores do arco-íris – símbolo da comunidade LGBTQIAP+.

E não foi só o cantor que levantou essa pauta sobre o pastor. Outros internautas seguiram o mesmo caminho. “Está explicado! Tu tem vergonha de quem você realmente é, e tem inveja de quem tem orgulho. Freud explica!“; “Sai do armário, André. Vem ser feliz. Dá tempo ainda“; “Querido pastor, saia do armário e venha experimentar o verdadeiro significado de amor, independentemente de bandeira, classe, etnia, amor é livre!“, escreveram alguns usuários do Instagram na própria postagem dele.

E a polêmica surgiu, principalmente, porque o pastor utilizou as cores do arco-íris na palavra mencionada. Pois, com isso, deu a entender que ele estaria fazendo uma alusão à comunidade, sobretudo porque junho é o mês dedicado ao “Orgulho LGBTQIAP+”. Que, na verdade, é um mês voltado para a reivindicação e luta por direitos e respeito à diversidade. Diante dessa atitude do pastor, ele não só foi muito criticado nas redes sociais, como também foi denunciado, pela deputada Erika Hilton, ao Ministério Público por homotransfobia.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você está ciente dessa funcionalidade. Consulte nossa Política de Privacidade.